Inicio Análise do dia

Análise do dia

Profissionais de saúde: entre o elogio e os 3148 infetados

No Dia Internacional do Enfermeiro a comunicação oficial da DGS teve palavras de apreço para todos os enfermeiros, estendidos também à Ordem, enfatizando a importância de tais profissionais de saúde no combate ao Covid-19, mas também para além do Covid-19, transformando Portugal num caso de sucesso. Em termos práticos, no sentido de devolver a normalidade à vida dos profissionais de saúde foi revogado o despacho do Governo de 15 de março que restringia o gozo de férias.
Pela negativa a DGS revelou o número de profissionais infetados (dados de dia 10, os que estavam disponíveis): 3148, dos quais 468 médicos, 834 enfermeiros, 760 assistentes operacionais, 150 assistentes técnicos.
Mais uma vez, a fiabilidade dos dados foi tema. A baixa percentagem de recuperados em Portugal, quando comparado com outros países, tem a ver com a forma de recolha de dados, pois esses dizem essencialmente respeito a doentes em contexto hospitalar. De futuro, através de metodologias e plataformas, refletirão informação de doentes que recuperaram em casa. De qualquer forma, o número de recuperados em 24 horas foi de 464 casos, um grande aumento.

Cedo para balanços, tempo para consciência cívica e social

Em dia de mais medidas de desconfinamento, a Direção-geral da Saúde destaca a ideia de ainda não ser o momento para balanços, mas sim para continuar. Espera-se que o balanço venha a ser positivo, mas depende da consciência cívica e social. Merece destaque o apelo aos cuidadores e educadores para vacinar as crianças, evitando outras doenças infeciosas.
Mensagem clara sobre a reabertura das creches: deve ser feito tudo o que os adultos e o espaço permitam para evitar o contágio, minimizando cruzamento entre crianças e o contágio adultos-crianças. O papel dos adultos é ajudar a evitar o contágio e as normas devem ser aplicadas em função do espaço.
Em termos de evolução da pandemia em Portugal a DGS indicou apenas notas soltas, mas claras: a taxa de ocupação de unidades de cuidado intensivo é estável (53% em unidades de adultos); existe confiança em que o SNS venha a responder como aconteceu até agora, em casos Covid-19 e não Covid-19.

Somos todos responsáveis pela proteção de todos

A informação oficial da Direção-Geral de Saúde focou-se, mais uma vez, em reforçar as orientações de boas práticas, responsabilizando todos pelo seu cumprimento. A ideia é de autorresponsabilização para proteger o próprio e os outros.

Foi chamada atenção para as consequências de “relaxar” no cumprimento das medidas de autoproteção, pois pode originar novos focos de infeção, tal como foi registado em outros países. Da mesma forma, ficou o aviso que todas as pessoas que não tiveram a doença estão em risco, e daí a importância de uma resposta coletiva no cumprimento das medidas.

Quanto ao número de casos, não se pode afirmar neste momento que o aumento diário, registado nos últimos 3 dias, se deva ao desconfinamento. Não é ainda possível saber o número de pessoas testadas, apenas o número de testes realizados (por exemplo, pessoas infetadas fazem mais do que um teste). Aferir sobre o número de pessoas testadas implica cruzamento de várias fontes.

Outros Artigos